Dominando os P’s do Mix de Marketing

Dominando os P’s do Mix de Marketing

Mix de Marketing

Olá, Mauricio Lima aqui, seja bem-vindo ao nosso segundo post da série Marketing Digital do Zero ao Expert, se você está acompanhando desde o início sabe que estamos produzindo uma série de vários posts e garantimos que se você acompanhar tudo com atenção, nunca mais vai ter problemas com marketing digital, e como dito no post anterior, nessa série você vai aprender tudo o que é preciso para colocar em prática na sua empresa/negócio e nunca mais ser enganado por agências ou profissionais desonestos que só querem seu dinheiro sem se preocupar com seus resultados.

Se você estiver chegando aqui agora, recomendo fortemente que volte ao post anterior e leia com bastante atenção, pois ele é a base para todos os outros conteúdos dessa série.

E não esqueça de se inscrever em nossas Redes Sociais para não perder os próximos conteúdos.

Quer ganhar PONTOS e trocar por PRODUTOS E SERVIÇOS da nossa agência? Clique ao lado ESQUERDO em “GANHE PONTOS” e saiba como.

Então vamos lá que o segundo texto esta apenas começando e temos muito a aprender.

Como prometido no artigo anterior, vamos falar sobre Mix de Marketing e desvendar este que parece ser um dos aspectos iniciais mais assustadores em marketing digital, mas não se assuste, garanto que não é nem de longe o conteúdo mais difícil que vai ver no decorrer das próximas semanas,

Vem comigo, vamos desvendar esse enigma nas próximas linhas.

Dominando os P’s do Mix de Marketing

O mix de marketing (anteriormente chamado de composto de marketing) é um conjunto de itens que representam as tarefas englobadas pelo marketing como um todo. O objetivo desse composto é levar o consumidor a compra.

Phellip Kotler, o pai do marketing tornou o conceito amplamente conhecido através dos 4Ps do marketing: produto, preço, praça e promoção.

Muitas pessoas acreditam que o marketing é simplesmente divulgação para vendas, mas isso não é nem de longe a verdade.

O marketing é uma área complexa da empresa, em seu contexto estão muitas outras áreas, como logística, finanças, produção entre outros que dialogam entre si. Ao longo do texto vai entender o porque.

Se o marketing não dialogar constantemente com esses setores e não conhecer a fundo algumas informações dessas áreas, fica praticamente impossível traçar uma estratégia que realmente converta em vendas.

Quando se trata de estratégia de marketing digital, uma abordagem superficial pode trazer uma série de problemas, como prejuízos financeiros para a empresa, descrédito pessoal bem como prejuízo para o próprio marketing digital, que perde credibilidade perante as empresas, que muitas preferem investir em outras estratégias e deixam essa que é praticamente o coração da empresa em segundo o plano, em alguns casos empresas desistem de investir em marketing, acima de tudo em marketing digital. Decisão essa que mais pra frente certamente levará essa empresa à ruina sendo engolidas por novos entrantes modernos com estratégias de marketing certeiras. (Para entender melhor sobre “novos entrantes” recomendo a leitura do livro “Entendendo Michael Porter: O guia essencial da competição e estratégia”).

Ações de marketing não são mero acaso, para uma ação ter sucesso ela precisa de muito estudo e planejamento.

Por isso o nome Mix de Marketing, por que existe muita coisa envolvida e misturada antes de traçar uma boa estratégia.

Então, se você quer saber o que é o Mix de Marketing, conhecer a fundo sua importância e o quanto ele pode te ajudar, este artigo é para você.

Neste artigo vou explicar tudo o que você precisa saber para começar aplicar no seu negócio e começar ter resultados sérios com marketing digital.

O Mix de Marketing considera uma série de fatores que são fundamentais para a estratégia como um todo, cada um desses elementos considera forças, fraquezas, ameaças e oportunidades, você já deve ter ouvido falar da Matriz de SWOT, não?.

As forças, fraquezas, ameaças e oportunidades são os pilares de um bom plano de marketing.

Quando você avalia e traça esses fatores citados acima, é possível implementar ações precisas que visam alcançar os objetivos de marketing do seu negócio.

Nós não vamos entrar no mérito do método SWOT neste artigo, mas recomendo a leitura desse livro, ANÁLISE SWOT | Teoria e exemplos práticos de como fazer!: Aprenda a fazer sua matriz SWOT.

Vamos começar com os 4p’s  e depois falaremos sobre os 7 p’s, e 8 p’s.

4P’s do Mix de Marketing- Produto, Preço, Promoção, Praça

Ok, vamos passar por cada um dos P’s do Mix de Marketing e vou explicar de forma que fique claro, pois dominar esses elementos vai te ajudar a ter sucesso em suas estratégias de agora pra frente, e se você tiver sucesso em aplicar o método eu tive sucesso em ensinar.

Vem comigo!

 

1º P = Produto

O primeiro P esta relacionado ao que você vende, pode ser um produto físico, online ou até mesmo um serviço, não importa, desde que seja o que você vende, no Mix de Marketing nos chamamos de “Produto”.

Então, antes de começar tentar vender um produto ou serviço, você precisa conhecer ele a fundo, isso por que quanto mais você conhece o seu produto, mais fácil fica de quebrar as objeções dos clientes, e quanto mais você conhece seu produto, mais você acredita que ele pode ajudar outras pessoas, e cá entre nós, um produto que nem o vender acredita que funcione não pode ter sucesso, não é mesmo?

Então vamos nos aprofundar um pouco mais, para conhecer seu produto a fundo você precisa de algumas respostas sobre ele, e para termos respostas precisamos fazer perguntas, lógico.

Abaixo eu selecionei uma série de perguntas feitas pelos maiores profissionais do assunto no Brasil e no mundo.

Pare por um momento e pense com carinho em cada uma dessas perguntas, você pode descobrir oportunidades nunca imaginadas por não ter feito as perguntas certas.

Vamos as perguntas:

  1. Que desejo ou necessidade do cliente meu produto/serviço satisfaz?
  2. Por que um determinado público precisa desse produto/serviço?
  3. O que o produto/serviço precisa ter para chamar a atenção?
  4. Como o produto/serviço é produzido?
  5. Qual o diferencial do produto/serviço?
  6. Como é o design?
  7. Como é o ciclo de vida do produto/serviço?
  8. O que seu cliente pensa sobre o produto?
  9. Quais benefícios seu cliente obtém ao adquiri-lo?
  10. Por que seu cliente optaria pelo seu produto/serviço ao invés do da concorrência?
  11. Seu cliente recomendaria seu produto/serviço para outras pessoas?
  12. O que o nome do produto/serviço remete?
  13. Como o produto/serviço dialoga com o ponto de venda?
  14. A quais outros produtos/serviços ele é associado?
  15. O produto/serviço é útil?
  16. O produto/serviço é relacionado a boas experiências?
  17. O produto/serviço traz sensação de prazer ao ser consumido?

Lembre-se, quanto mais respostas reais você tiver, mais dados você tem para tomada de decisão quando for montar seu plano de marketing, então passe quanto tempo for necessário para fazer o melhor possível, você vai ver que marketing digital não é diferente de outros aspectos da vida, tudo precisa ser feito com dedicação, do contrário, se tiver sorte você terá resultados medianos, mas geralmente sem esforço irá fracassar em tudo. Para ter sucesso você precisa ser o melhor no seu segmento, ponto final.

Voltando as perguntas, para te ajudar a responder cada uma delas, criamos um quadro no Trello onde você pode acessar e fazer sua cópia gratuita.

Clique no botão abaixo para acessar o quadro no Trello.

2º P = Preço

O segundo P esta relacionado ao preço que você vende o seu produto ou serviço.

Quando se fala em preço, não é algo tão simples, pois esse aspecto depende da ótica do cliente, quanto ele esta disposto a pagar?

Vou contar minha experiência quando resolvi empreender com marketing digital, eu havia trabalhado por 10 anos em agências de marketing pelo Brasil, e então decidi começar minha própria agência.

Na ocasião eu enfrentei um dilema que acredito que todo mundo que começa um negócio do zero passa, o dilema do “Cobrar Caro X Cobrar Barato” pois se eu praticasse um preço muito abaixo da concorrência, meu serviço poderia ser visto como de má qualidade, mesmo sem conhecer serviço o cliente em potencial iria criar esse conceito pré-estabelecido, mas essa estratégia me permitiria vender mais rápido, pois o cliente que sabia que um serviço que custava R$ 1.000,00 (mil reais) estava sendo oferecido pela metade do preço, poderia ver isso como um oportunidade, por outro lado, com essa estratégia você vai atrair clientes que podem não ser os melhores, geralmente quem não pode pagar o preço justo por um serviço, tem algum tipo de problema em sua empresa e não esta indo bem, de fato para mim a estratégia do preço baixo não funcionou, nem mesmo como estratégia para entrar no mercado, pois atrai os piores clientes, aqueles que as agências sérias recusavam.

Então parti para a estratégia do preço justo, ou seja, preço que me traria dignidade e bons contratos, mas como eu não tinha estrutura, meus custos “justos” acabavam sendo bem mais caros que as agências.

Observação: Ao praticar preços acima da concorrência, você vai demorar muito mais para fechar um negócio, pois geralmente a empresa em questão pediu orçamento para várias agências e/ou consultores, então, a menos que você seja conhecido e muito bom no que faz, você vai perder a concorrência na maioria das vezes. E esse foi meu caso, como eu tralhava sozinho e com um pequena equipe de freelances, geralmente tinha que cobrar valores mais altos que grandes agências da época, agências essas que tinham estrutura e podiam cobrar preços mais em conta e quando uma empresa vai analisar um consultor sem muito histórico independente versus uma agência com 10 anos de experiência você já pode imaginar o resultado, perdia quase sempre.

Mas perder a concorrência para essas agências muitas vezes era interessante, pois muitas vezes essas mesmas agências que ganhavam a concorrência vinham contratar minha consultoria para realizar o trabalho, você deve estar pensando, “mas como isso é possível, se você disse que cobrava valores mais altos que as agências então, como elas poderiam te contratar se pegavam o serviço por preços mais baixos que você?”

Calma, veja bem, geralmente um bom serviço não acaba em um mês, geralmente são contratos de longa duração, 6 meses no mínimo, podendo chegar a 4 anos ou mais a depender do tamanho do projeto

Quando as agências ganhavam a concorrência, me contratavam para uma consultoria de 01 mês, no máximo, o que me dava um honorário entre 15 mil e 30 mil e então com minhas informações, a estrutura e os profissionais deles, eles podiam lucrar normalmente com seus contratos, até por que, cá entre nós (15 e 30 mil não é nada para contratos com grandes empresas ou governo que chegam a ultrapassar facilmente a casa do milhão).

É amigue, as coisas são bem loucas as vezes, e até você se consolidar no mercado e ficar conhecido, a vida não passa a mão na sua cabeça.

Bom, para concluir, hoje eu posso cobrar preços justos e tenho uma cartela de clientes fiéis que sempre estão me recomendando para novos clientes, mas isso demorou mais de 3 anos com muito esforço e zelando ao máximo pela minha reputação.

Continuar com nosso texto, espero que a minha história tenha ilustrado bem esse dilema que a maioria dos empreendedores enfrenta no começo e te ajude a definir o valor correto para alinhar a sua rentabilidade com a necessidade do consumidor.

Mas tem um detalhe importante, o preço nem sempre significa o mesmo que valor, o preço pode ser mais elevado que a concorrência, mas você pode entregar muito mais valor, então pense nisso, seu produto/serviço entrega valor?

Para te ajudar a conhecer melhor sobre o seu produto, trouxe uma série de perguntas que interferem diretamente na hora de o preço ideal para seu plano de marketing.

Vamos as perguntas, são elas:

Qual é o menor valor que posso vender meu produto/serviço sem levar prejuízo? (não conte isso pra ninguém e só pratique esse preço se realmente estiver precisando ou não quiser mesmo perder um negócio por que acredita que poderá ganhar mais lá na frente)
  1. Qual o maior valor aceitável pelo meu cliente?
  2. A diminuição do preço pode aumentar as vendas?
  3. O aumento do preço pode aumentar os lucros?
  4. Como o cliente enxerga a questão de custo do meu produto/serviço?
  5. Qual é o preço praticado pelos líderes do meu mercado?
  6. Como está o preço do produto/serviço em comparação aos meus principais concorrentes?
  7. O público enxerga que o valor do produto/serviço é justo?
  8. O público enxerga que o valor do produto/serviço é acessível?
  9. O público enxerga que o valor do produto/serviço corresponde à sua qualidade?
  10. Qual é o preço do produto/serviço?
  11. O preço do produto/serviço é compatível com a concorrência?
  12. O preço gera o valor desejado para o consumidor?
Levando em conta as perguntas acima, você poderá estabelecer um preço condizente com o que o produto entrega.

E só pra reforçar, o elemento “Preço” vai muito além do uso da calculadora, valor, percepção, etc.

Bom, espero que com isso tenha te ajudado a desvendar o enigma do segundo P.

Caso queira aprofundar seus conhecimentos no assunto recomendo fortemente a leitura desse livro, foi ele que usei para me aprofundar na questão de preço do meu negócio: Gestão de Custos e Formação de Preços – Conceitos, Modelos e Ferramentas

Vamos em frente!

 

3º P = Praça

O terceiro P se refere à praça, ou seja, ao local onde você vende o seu produto, pode parecer um tanto confuso, pois a palavra não tem o sentido pretendido aqui.

Veja o que diz no dicionário:

“praça
1. área pública sem construções, dentro de uma cidade; largo.
2. local aberto onde se compra e se vende; mercado, feira.”

 

Aqui praça faz referência ao local no qual o produto será comercializado, esta intimamente ligado à distribuição do produto.

Para quem trabalha com serviços online ou infoprodutos, isso não faz tanto sentido como para produtos físicos, que na maioria das vezes estão estocados em algum lugar e existe toda uma cadeia de logística por trás, mas logística não é um assunto para esse artigo, vamos continuar com o conceito de Praça no Mix de Marketing.

Então vamos lá, Praça em outras palavras, são os canais por meio dos quais o consumidor pode comprar o produto.

Existem pessoas que acreditam que devem oferecer seus produtos no maior número de pontos de vendas possível, isso não esta errado, entretanto existem muitas variáveis, mas a verdade é que esse fator também influencia (e muito) no valor percebido pelo cliente.

Veja um exemplo, a Magazine Luiza, esta em toda parte, as pessoas se sentem confiantes em comprar no site deles, eu fiquei surpreso quando descobri que minha mãe costuma comprar coisas deles pelo aplicativo.

Enfim, para te ajudar a pensar melhor sobre este aspecto do Mix de Marketing no seu negócio, vamos analisar algumas perguntas importantes, assim como feito nos P’s anteriores, são elas:

  1. Como o produto é exposto na loja?
  2. Como o consumidor tem acesso ao seu produto?
  3. A loja dialoga com o produto?
  4. O ponto de venda condiz com a utilidade do produto?
  5. O cliente vai até o produto ou o produto vai até o cliente?
  6. A loja oferece múltiplos canais de venda?
  7. A loja online oferece design responsivo?
  8. A loja online aparece no Google?
  9. A loja online está presente nas redes sociais?
  10. A loja online tem uma forte presença digital?
  11. A loja online facilita a navegação?
  12. Como é a experiência do usuário na loja online?
  13. A loja online oferece múltiplas formas de pagamento?
  14. A loja investe em links de afiliados?

Respondendo as perguntas acima com bastante dedicação, você deverá compreender melhor o funcionamento do deu negócio, os aspectos questionados acima ajudam você a elaborar um plano de marketing mais preciso, evitando assim o desperdício de tempo e dinheiro em estratégias que podem não fazer sentido para o seu negócio.

E se você prestou atenção nas perguntas, viu que a maioria delas está relacionado a vendas online, que hoje em dia é estratégia fundamental para a sobrevivência da sua empresa, e não me venha com desculpa dizer que seu negócio é pequeno e não precisa do  online, você precisa sim, todas as empresas precisam, se você usar essa desculpa para não investir no online me desculpe, você precisa deixar de ter medo do desconhecido e começar agora mesmo, pois o legado que você vai deixar para seus filhos e netos depende da sua atitude hoje.

Você tem duas escolhas, online e off-line, vai pro online? Parabéns você tem futuro, vai ficar no off-line? tchau queride, volte a trabalhar de empregado.

3º P = Promoção

Mix de Marketing

O quarto e último P se refere a promoção (último de vanguarda, pois com o tempo surgiram novos P’s que vamos ver mais a frente).

Ok, Promoção esta relacionado a como você vende.

Esse elemento do Mix de Marketing é o que está diretamente associado ao marketing na linguagem popular e você vai entender por que logo nas próximas linhas.

De modo geral, tudo que diz respeito a promoção esta intimamente ligado a formas de tentar vender um produto ou serviço.

O elemento Promoção envolve ações tradicionais e até corriqueiras, como: eventos, materiais impressos, anúncios e todos os demais esforços voltados à divulgação.

Mas é claro que não somente isso, também se refere às estratégias digitais.

Links patrocinados, marketing de conteúdo, redes sociais, e-mail marketing, SEO, SAC 2.0 entre outras táticas que são aplicadas no elemento Promoção.

E como é de praxe, para te ajudar a entender melhor essa fase, vamos as perguntas:

  1. O produto tem uma boa imagem na percepção do público?
  2. Quais são as estratégias de captação de leads?
  3. Quais são os canais utilizados pelo público-alvo para consumir conteúdo?
  4. A sua empresa alia estratégias online e offline?
  5. Como os clientes são fidelizados?
  6. O que as pessoas falam sobre o produto para as outras?
  7. O produto ou marca tem uma forte presença digital?
  8. Quem são os principais influenciadores da marca?
  9. As pessoas buscam pelo produto nos mecanismos de buscas?
  10. As pessoas sentem-se confortáveis ao interagir com a marca?
  11. As pessoas buscam pelo produto nos mecanismos de buscas?
  12. O produto ou marca aparece no Google?
  13. O produto ou marca é divulgado e comentado nas redes sociais?
  14. Quais são os melhores dias e horários para promover a marca?
  15. Como os leads cadastrados se relacionam com a marca?
  16. Como é o pós-vendas da empresa?

Enfim, a promoção lida com todo e qualquer veículo que suporte a visibilidade da marca ou do produto.

Por conta disso, esse elemento é fortemente associado à comunicação corporativa, linguagem e relacionamentos com o consumidor.

Responda o máximo possível de perguntas e preste muita atenção nelas, elas não estão incluídas nesta lista apenas para ocupar espaço, cada uma dela deve ser observada para que sua estratégia de marketing seja o mais assertiva possível.

Dominando os P’s do Mix de Marketing

Evolução do Mix de Marketing

Com o tempo e as mudanças ocorridas no mercado, foi necessário implementar nomenclaturas ao Mix de Marketing, foi então que surgiram os 7Ps, definição mais contemporâneas para o mesmo paradigma.

Produto; Preço; Praça; Promoção; Pessoas; Percepção; Processos.

Vamos a cada uma delas:

Pessoas

Por incrível que pareça, o mesmo cara que popularizou os 4 P’s do marketing, trás uma atualização importante ao Mix de Marketing, estou falando de Philip Kotler

Kotler trouxe a discussão para o que ele chamou de marketing 3.0, em sua nova proposta, o marketing deixa de ser algo focado exclusivamente no produto e passa a considerar as percepções do cliente.

Ou seja, as decisões do consumidor não são baseadas na pura e simples racionalidade, mas estimuladas por sensações.

Para entendermos melhor como isso funciona, vamos pensar por exemplo em uma pousada

Em nosso exemplo a pousada tem uma excelente área de lazer, piscina flutuante, deck com vista para o mar, um café da manhã com mais de 100 opções, e tudo o mais que qualquer pessoa de bom gosto precisa para descansar e passar suas férias, entretanto, a equipe de recepção não cumprimenta os hospedes, no café da manhã o pessoal da cozinha não atende eventuais solicitações e são ríspidos nas respostas, além disso, os grãos da cafeteira de expresso não tem grãos para o cliente degustar o seu próprio café, feito na hora que ele quiser… Essa pousada que outrora sobreviveria, hoje esta fadada ao fracasso e inevitavelmente vai falir, pois a percepção dos clientes, mesmo sendo um ambiente de alto padrão, não agrega valor emocional e a experiência do cliente é totalmente frustrada devido a esse pequenos detalhes que para o cliente exigente faz toda a diferença.

Consegue entender a importância do elemento Pessoas ter sido adicionado ao Mix de Marketing? Espero que sim, então vamos ao nosso próximo P.

Mas antes, não ignore a necessidade de investir nos recursos humanos da sua empresa, treinamentos, cursos, enfim, tudo que colabore para que sua equipe agrade ao máximo e compreenda seu papel na satisfação do cliente..

Você já deve ter ouvido falar na era do marketing de relacionamento, se não, então você precisa contratar um plano de internet rs.

E para finalizar o P de Pessoas, ter um time alinhado ao propósito do negócio, seja no atendimento, no suporte e em qualquer outro setor que faça contato direto com o seu cliente faz parte do sucesso da sua empresa.

Você precisa garantir que sua equipe dê o máximo de si, precisa fazê-los acreditar naquilo que fazem.

Por isso o processo de recrutamento e treinamento é vital para o Mix de Marketing.

Dica: A gestão de pessoas pode ser arma secreta do seu negócio e um fator de diferenciação dos seus concorrentes.

 

Processos

Quando se trata de atender o cliente da melhor maneira, muitas empresas costumam achar que a percepção do consumidor ocorre somente a partir de suas interações com o produto ou serviço e isso é um erro, conforme citado logo mais acima em Pessoas.

O que você precisar entender é que todos os processos ligados ao seu negócio e ao cliente desde antes da compra podem influenciar diretamente no modo como o cliente pensa sobre sua marca.

Experimente pensar sobre a experiência do seu cliente quando ele compra um item, o que ele pensa, o que ele sentiu ao fazer a compra, qual foi o feedback dele em relação a compra, ele está feliz? Essas observações vão ajudar você a traçar os melhores processos para garantir uma experiência completa para o seu cliente

É e isso que se trata o P de Processos.

O processo que envolve a compra e a experiência que ele obtém com isso, analise isso com o máximo de detalhes, quanto melhor a experiência dele em relação aos processo, melhor o feedback positivo e maiores as chances de você superar os seus concorrentes e se consolidar no mercado.

Prova física

A prova física é o último P do Mix de Marketing.

Já ví algumas pessoas confundirem esse P com praça, mas não se engane tem uma diferenciação.

Na prova física, são levados em consideração os aspectos tangíveis com os quais o consumidor interage dentro do ponto de vendas.

Por exemplo, a disposição das prateleiras, os móveis, as cores, o design, a postura corporal dos vendedores, localização de setores, entre outros.

E por último, mas não menos importante, o ambiente digital da sua loja.

A composição de um site, é um dos principais fatores levados em conta na prova física.

De modo similar, a facilidade de acesso, velocidade e experiência do usuário em geral em uma loja virtual (que também é um ponto de venda) são aqui considerados.

Bom, não vamos nos aprofundar nesse elemento, mas ao final deste artigo deixarei a recomendação de alguns livros que podem te ajudar a entender melhor esse elemento e como aplicar em seu negócio.

Outras terminologias e métodos criados sobre esse assunto:

Os 8 ps do marketing digital

Esse método foi criado por um guru do marketing digital brasileiro, trata-se do Conrado Adolpho, ele que é consultor e palestrante, além de mentor e professor em vários projetos, neste artigo não vamos entrar em detalhes sobre o método dos 8 P’s, mas vou deixar o link do livro dele onde você pode se aprofundar e dar continuidade aos seus estudos.

 

Os 8 P’s do Conrado Adolpho são os seguintes:

  1. Pesquisa;
  2. Planejamento;
  3. Produção;
  4. Publicação;
  5. Promoção;
  6. Propagação;
  7. Personalização;
  8. Precisão.

 Link do livro: Os 8 Ps do Marketing Digital: O Guia Estratégico de Marketing Digital

Bom caros(as) leitores(a)s chegamos ao fim do nosso conteúdo sobre o Mix de Marketing existem muitos conceitos e métodos sobre esse tema e você pode dizer que esse artigo não é completo, na verdade ele é sim para o tema que se propôs, no futuro podemos escrever sobre outras vertentes e evoluções como 3 C’s, 4 C’s, etc. Mas isso fica para um próximo artigo.

No mais, espero que tenha contribuído para seu aprendizado na jornada do marketing digital e que com isso consiga reunir elementos para a elaboração da sua estratégia de marketing.

Conclusão

Dominando os P’s do Mix de Marketing

Chegamos ao final do nosso texto.

E então, percebeu como o Mix de Marketing evoluiu que foi criado nos anos 60 pelo professor Jerome McCarthy?

Espero que tudo que explanei neste artigo tenha te ajudado e esclarecer os elementos do Mix de Marketing e que com isso consiga dar os próximos passos.

Neste artigo você aprendeu o que é o Mix de Marketing, qual é a sua importância e por que você deve colocá-lo em prática o quanto antes no seu negócio, independente de você vender produtos ou serviços.

Você também conheceu conceitos como os 7 P’s do Marketing e teve uma breve introdução sobre os 8 P’s, conceitos esses que foram surgindo e são considerados contemporâneos.

Ainda assim, mesmo tendo discorrido bastante sobre o tema, espero que não termine aqui seus estudos sobre o assunto e continue buscando conhecimento.

Você viu que por diversar vezes citamos Philip Kotler, né? Então, o que tal dar uma lida nos clássicos dele que é considerado o pai do marketing?

Ao final do artigo vou deixar uma lista de livros que me ajudaram muito e acredito que podem te ajudar muito na sua jornada de conhecimento.

E para concluir, peço que deixe a sua opinião nos comentários e compartilhe este artigo nas suas redes sociais.

E não esqueça de se inscrever em nossos canais e nos seguir em nossas redes sociais.

Recomendações de livros:

Os 8 Ps do Marketing Digital: O Guia Estratégico de Marketing Digital

Gestão de Custos e Formação de Preços – Conceitos, Modelos e Ferramentas

ANÁLISE SWOT | Teoria e exemplos práticos de como fazer!: Aprenda a fazer sua matriz SWOT

Entendendo Michael Porter: O guia essencial da competição e estratégia

Quer continuar lendo e aprendendo sobre marketing digital?

Acesso nossos posts aqui:

Conheça nossa Empresa de criação de sites

Um forte abraço e até breve!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui